Meios e Mídias · Paradigmas e comportamentos

True Blood e nossa tara por sexo, violência e sangue

True Blood

O (único) problema de True Blood é que a série vicia. A série tem esse comportamento de traficante, de dar um pouquinho, que é muito, e te deixar com vontade de mais. Dois episódios da terceira temporada e eu já estou aqui, babando, em crise de abstinência e resistindo bravamente à tentação de baixar os episódios que já foram ao ar lá fora. E se ainda não o fiz é porque sei que isso me deixaria babando e em crise de abstinência no próximo domingo, and so on. Continue lendo “True Blood e nossa tara por sexo, violência e sangue”

Anúncios
Meios e Mídias

Esperando pela Mid-Season

Dia 27 de Junho começa a minha mid-season, com a estréia da 3a temporada de True Blood na HBO. No geral, parece que vai ser uma mid-season bem característica, com poucas séries e algumas que de fato não são mid-season (é o caso de TB…). Essa é de longe a pior época do ano pros viciados em séries…

True Blood
True Blood - junho na HBO

A terceira temporada de uma das melhores séries de vampiro (ainda perde para Forever Knight, eu acho. Em alguns aspectos, não todos!), trás vários personagens novos e promete muitas surpresas. A gente fica sempre com medo deles errarem a mão e meterem o pé na famosa jaca. Mas eu dou meu voto de confiança: já na segunda temporada eles adicionaram muitos personagens, shapeshifting e outros seres bizarros e ainda assim não erraram no tempero. É esperar pra ver. Bom, porque eu já estava em #billstinência! Continue lendo “Esperando pela Mid-Season”

Meios e Mídias

Lost Without Lost

Somos os orfãos de LOST. Com o fim da saga de 6 anos perdidos em uma ilha, com todas as metáforas, algumas escancaradas e outras nem tanto, que estar perdido em uma ilha carregava, acabou-se uma era na televisão mundial, algo que se compara, eu acho, ao fim de Arquivo X (com o detalhe de quando arquivo X acabou, ele já tinha acabado há muito tempo, se arrastando moribundo em nossa televisão… Já Lost acabou quando devia acabar, por mais triste que admitir isso seja!).

Eu confesso que assisto muita TV. Com a possibilidade de baixar episódios online e com o recurso de gravá-los na minha TV, qualquer coisa que me prenda minimamente a atenção, merece espaço em um dos meus HDs (o do computador ou o da TV).Mas confesso também que agora tudo tem um gosto meio amargo, ou insosso: não é LOST. Continue lendo “Lost Without Lost”