Reminiscências

Você não sente, nem vê…

E sem saber, ele foi o meu tema por toda esse mês que hoje acaba.  “No presente a mente, o corpo é diferente, E o passado é uma roupa que não nos serve mais”. A gente sabia pra onde estava indo, e de repente, não sabe mais, porque é uma roupa que não nos cabe. Mas como viver sem propósito? Como chegar se não sabemos pra onde ir?

Em tempos secos, vai-se Belchior que nunca esteve tão atual como hoje…
Que em maio, possamos todos, plantar as sementes.
Que em maio possamos todos, rejuvenescer. Continue lendo “Você não sente, nem vê…”

Pensamentos Aleatórios

Plante a Semente

Jason Silva, falando sobre amor e melancolia, citando A. Camus e R. Barthes, diz que no momento em que acontece o avassalador arrebatamento, ele já é passado e memória.  O luto da perda do instante, da cena, do instantâneo episódio que te preenche a alma.

Essa semana, meu tema foi o dilema do ansioso num mundo onde não sabemos para onde vamos. A incapacidade física de aproveitar o caminho, fardo de quem precisa do controle sobre o momento que virá na sequência, mas eu não sei pra onde estou indo, ou porque. Logo tudo  é sobre  o caminho, e eu não consigo focar nele Continue lendo “Plante a Semente”

Pensamentos Aleatórios

Porque não podia ser só um post…

Conheço muito pouca coisa que banho de chuva não lave, que cerveja não dilua, que amizade não aplaque. #sougrata
E a gente segue tentando.  Tentando conviver com esses tempos incertos, com essa idéia de que falta pra onde e pra quê.
Nesse meio tempo, que não nos falte chuva.
Que não nos falte cerveja.
E acima de tudo, que não nos falte amigos.

PS: Barão do Flamengo não é igual a Flamengo.
Just Saying.

Crônicas do Cotidiano

Para quem te deu o primeiro batom

Recebi uma propaganda de loja de cosméticos: Frete grátis para quem te deu o primeiro batom.

5 segundos de pausa, mergulho lá dentro e tento me lembrar qual foi meu primeiro batom. Não sei. Devo ter roubado da minha irmã, ou sei lá, não é de se causar muito espanto que eu não lembre.  Não é assim que funciona a minha memória.  Continue lendo “Para quem te deu o primeiro batom”

Pensamentos Aleatórios

Sobre amor e egoísmo

Tentei escrever alguma coisa sobre essa dor que não mora em mim. E que era maior que todas as outras que eu já tinha sentido…  Esse olhar que parece tão impotente, essa mão esticada na sua direção.  Faltou palavras. Apertou o peito. Versos desencontrados. E silêncio.

Tudo é sobre nós. Mesmo quando é sobre o que está sobre o outro e dói em nós. Amar o outro é tão egoísta, mas tão egoísta, que a dor do outro vai doer muito mais em nós.