Pequemos apontamentos do cotidiano 01

tentar lembrar de registar algumas coisas que escrevo por aí também por aqui. Aqui eu não perco na timeline! 🙂

Então. Arrumando as coisas pra enfrentar o caminho que passa pelo coliseu, digo pelo Guanabara… Não sei se o que ouvi hoje é propriamente consolo, embora saiba que é verdade. O problema é que as vezes preciso de tantas confirmações quanto possíveis, umbiguismo. Só isso. Passa. O resto, bem. É o resto. Por isso digo que não sei se é consolo, porque queremos inteiro e não pela metade. Porque queremos tudo, e queremos ontem. Mas havemos de relativizar o mundo vivido em pequenos soluços de alegria genuína. Soluços eventualmente longos. Soluços entretanto, espaços entre o árido deserto que se chama de cotidiano. Esses soluços são tão sólidos como o que se encontra entre eles. O sonho é tão parte da vida como o que quer que chamemos de vida em si. Há quem diga que estamos todos apenas sonhando dentro do sonho de alguém. Quem pode dizer que não? No que habitualmente desejo de coração aberto, tenho a vida farta, basta apenas a vida plena. E parte-se a semana no meio. Menos um dia. Mais um dia. Que tenha sido bom. Que tenha ao menos sido.


A vida real tem cobrado seu preço.  Mas eu sou uma boa pagadora.  O que sobra, eu divido, reparto e há de me encher a alma. E tenho dito.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s