Uncategorized

A galinha, o boi e o pobre do cavalo (ou “filosofia de fim de expediente”)

Ah, importantíssimo… enquanto espero a febre de Lê abaixar (pq irá abaixar…), filosofemos um pouco. Porque tudo é livre inspiração pra não dizer plagio porque mais do que as idéias já estão no ar, elas já foram de fato pensadas antes de as pensarmos, mesmo quando não sabemos disso, eventualmente sabemos…  Enfim…

Eu repito incansavelmente que eu não queria estar em outro lugar. E não estaria. E não poderia estar. Etc. A música que o Franklin postou eras atrás e que vi (e me apaixonei) por mero acaso já que não compartilhamos assim propriamente do exato mesmo gosto musical então é mais provável eu clicar em links de texto que ele sugere do que em músicas, mas enfim, fui nessa, ela é meio que mantra pra mim em certas horas e muito apropriada não só pra minha visão de mundo como principalmente pra essa sensação de que o universo conspira (How did I get to here? A random chain of events. Or chemical and elements. Conspiring, divining) e te coloca onde você precisa estar, deve estar, etc… nem tudo é coisa boa, nem tudo é presente, mas estamos todos exatamente onde precisamos estar.  Já estive em muita roubada nessa vida. Já estive em lugares que não desejo pra você. Mas não é esse o caso agora. Graças às tais das luzes que me guiaram para casa. Outra música, outra história. Continue lendo “A galinha, o boi e o pobre do cavalo (ou “filosofia de fim de expediente”)”

Anúncios
Pensamentos Aleatórios

Meio

Meio. Meio copo meio cheio. Meio vazio. Só meio. Meio dia. Meio ano. Meia vida partida ao meio. Do meio. Semeio. Permeio. Meia noite no penúltimo trem da mesma história contada do fim para o meio. Ao meio. Reconto. Percorro. Preencho. Semeio. Se não hoje, só ainda , em breve, meia noite, meio dia, só meio. Meio copo.Olha direito, cheio.