Pensamentos Aleatórios

A Adriana, os cigarros e os Arcos da Lapa….

68 horas. 30 minutos, sabe deus quantos segundos…. Esse é o tempo sem introduzir nicotina na corrente sanguínea. Um nada ainda. Uma eternidade.

O melhor conselho que recebi, repasso . Água. Muita água.  Quanto mais se dilui a nicotina existente, mas fácil ela sai.  Fisicamente, eu tô ótima. Quer dizer, eu to uma pilha de nervos, irritada pra raio, um mal humor de dar dó , mordendo canto de parede tamanha a ansiedade, mas a parcela disso referente à abstinência tende a zero.  Logo, acrescento um conselho  meu no  pacote: esse negócio de escolher boa hora é furada. Numa boa hora, você vai transformar o bom em péssimo. Tô começando a achar que a melhor hora é a pior delas : já ta péssimo, vai piorar como?!  E quando passar, é só melhora, e corre pro abraço!

O problema é hábito mesmo. Terminar de almoçar. Sentar no computador. Ir vigiar a máquina de lavar. Os 5 minutos que antecediam  qualquer coisa e encerravam qualquer coisa. Aqueles momentos em que eu estava lá, com o cigarrinho na mão. E quando o universo  te dá pernada então? A cada provocação e cada ameaça vazia tudo que eu quero é 5 cigarros na boca . DE UMA VEZ SÓ. No lugar água. E chiclete. E a idéia fixa que os hábitos fisicos e emocionais que estou mudando são investimentos… Com excelente taxa de retorno, por sinal. Além de uma obra social… vamos combinar, onde amigo vai achar colo se eu estiver mais pra lá do que pra cá? Já entendi, já entendi…. tudo amigo com motivo ulterior!

Mas vontade vem, toma conta e de súbito a lembrança: “opss, não fumo mais”. E tome água. E chiclete sem açúcar. E nos primeiros segundos ajuda. Racionalizar que cigarros com sabor foram proibidos e eu ia ter que trocar de marca, e que o preço aumentou e eu ia ter que assaltar um banco, e no bando de coisas melhores que posso fazer com o dinheiro do cigarro (inclusive não gasta-lo já que mês passado foi no cheque especial!!!) , mas depois vem de novo o pensamento:  tá, água gelada, chiclete gostozinho e agora? Quando vem o cigarro?!

Não vem. Não vem mais, ok?

O movimento é parte de um desses projetos grandiosos de revitalização.  Podia dar uma verificadinha nas estruturas e jogar cal por cima né? (juro que não é provocação, amigo…  Entendi direitinho as razões. Só lembrei  do causo)… Mas é tudo, pacote completo…  O novo, o diferente, o que ainda não fiz, o que deixei de fazer.   Quase tudo ta valendo, já que muito coisa foi realmente destruída, ta rolando reinvenção além de revitalização. Tem coisa inteira que ta sendo demolida, só porque não vai combinar mais. Nem me pergunte o orçamento, salgado, mas juro, vai valer a pena. E fumar é só parte do que era, não será nunca mais!

Isso e a perda. De tempo, né?  Uma amiga resumiu seu tempo de fumante como o tempo que ela perdia com ela mesma. Mas tempo perdido mesmo.  Experimentei isso sexta que eu tava no Rio, meus amigos na mesa do bar, eu lá fora fumando, ouvia a risada, eu lá fora, eles lá…. que movimento é esse que foge do resgate gente? Que se isola?  Pra fumar cigarro? Sério??? A cerveja, a batata gordurosa, o pastel com pimenta bem ardida, a conversa, o carinho, a atenção, tudo isso era mais gostoso que o cigarro, e eu abri mão pelo cigarro em vários momentos. O mesmo na casa da Si,  todo mundo na cozinha ,eu lá fora…. todo mundo na sala, eu a meio corpo pra fora… Inaceitável. Mas tudo bem, não se repetirá mais!

E a parte  de saúde da coisa é a cereja sobre o bolo…  É a parte onde a tinta é de longa duração, a reforma é de responsa mesmo.

69 horas. O duro são os hábitos. Enrolei com água. E chiclete. A vontade volta. Outro copo d’água. E vamos lá que essa vai ser só uma das muitas mudanças de hábitos, correções, melhoras, ajustes… Da magnitude da revitalização dos Arcos da Lapa ou até bem mais, só que com tinta boa ao invés de cal.

Anúncios

8 comentários em “A Adriana, os cigarros e os Arcos da Lapa….

  1. Como quase todo mundo , eu tentei FUMAR!… Não deu! Mas, sei o tamanho da luta de quem quer deixar de… Também sei, que quando acontece uma coisa mais grave, o fumante acaba deixando, apesar de todo sofrimento.

    ENTÃO, É TOTALMENTE INCOMPREENSÍVEL O “NÃO PARAR “, ANTES QUE ESSA COISA GRAVE ACONTEÇA., NÉ? (papo de não fumante, né?) rsrs

    BOA SORTE, ADRIANA! FORÇA!

    Curtir

    1. O problema é que vício é vício e racionalização é um treco poderoso. Fumar pode causar câncer, pulmão, boca, garganta, e por aí vai. Pode. Não necessariamente vai. Tem gente que não fuma e tem cãncer. Talvez você não tenha. Você vai parar já já. Na hora que você quiser. É só hoje. Esse tanto é só hoje. amanhã só fumo 1. 2 no máximo, esse terceiro não conta. Não é um bom momento. No ano novo que vem eu paro. Mas só depois que voltar de viagem. Começo de bimestre é uma péssima hora. Podia me dar isso de aniversário. Ah, tô ficando mais velha, a vida é uma droga, nem fumar eu posso????

      O ser humano é capaz de racionalizar QUALQUER COISA…. as vezes acho que certas pessoas estão sendo cretinas, mas paro pra pensar que talvez estejam só racionalizando. Eu racionalizei trocentos (muitos mesmo…uns 30 anos, com 3 pausas pra ter filhos) anos de fumante. Racionalizei os ultimos 23 anos da minha vida e fui cega pra milhões de coisas. Uma mentira racionalizada tem o EXATO mesmo poder e a mesma aparência de uma verdade comprovada, isso se você acreditar que verdade existe, filosoficamente falando….

      Mas enfim, é sério…. Eu sou meu próprio Arcos da Lapa, que alias e um lugar de um significiado emocional imenso pra mim!!!! E em forma de mutirão, com meu aval e meu esforço, tá rolando a revitalização/reconstrução/reinvenção…. Entre as novidades eu estou virando ex-fumante, tá dificil, ta dureza, e acho que vou ter que lidar com isso, seja agora, 78 horas depois de parar ou daqui a 78 semanas ou 78 meses, como um processo. Estarei sempre deixando de fumar. E cada cigarro que eu não fumar (que espero que sejam TODOS) é uma vitória da verdade sobre a racionalização.

      Ou algo assim. Só tô evitando o raciocínio do pior já passou, pq é o raciocíneo que nos deixa vulnerável pra recaidas em qualquer vício. De fumar, de beber, de ceder, de não saber se impor, de ter medo, de…. qualquer vício, físico ou emocional! 🙂

      Curtir

  2. Eu tou mto feliz com isso tudo. Eu tava triste e agora tou compreendendo. Sim, é tudo pra melhor… Cara, vc sem isso, Dri, PQP. Eu me vejo até hj surpresa com eu sem isso.

    E é assim que é pra ser. Não temos mais idade pra brincar de arriscar essa saúde graviana que nós temos… 🙂 Tudo fica melhor, trust me… Comidas, água, perfumes, PESSOAS.

    O mundo sem essa cortina de fumaça é mto melhor. Lembra que tudo de ruim que possa te acontecer esses dias (e conheço gente q nem tem tanto…) é síndrome de abstinência. E ela é desconfortável MAS PASSA.

    Saca cólica menstrual? Só que na alma. E PASSA.

    Beijos e mais e mais força… Pq é sobrevivível tal como essas outras coisas menores que vc está passando… hehehehe

    🙂

    Curtir

  3. Mais de 100 hs, né Adriana… segura aí…segura sempre…. você conseguirá!

    Estou muito triste…tenho um irmão que bebe e fuma… há muitos anos…. Semana passada foi internado… cirrose hepática em estado avançado… Está muito ruim! Sempre arranjava uma desculpa pra não deixar o vício….sempre….sempre….Quase destruiu toda a família….a nossa mãe morreu há 4 anos…tinha muito desgosto de ver aquele filho se destruindo…nós, também … mas, nunca, nada do que dissemos , adiantou!

    Tenho conversado com ele… está muito arrependido de não ter tido força de vontade o suficiente… desde a internação não fuma e nem ingere alcool e, de repente, descobriu que nem era tão difícil assim… Caiu em si, finalmente!
    Disse que nunca mais se intoxicará ….. (!)… Agora… (!)
    Desculpa!
    Força!!

    Curtir

    1. Parei de contar em horas quando chegou a 100. Agora é em dias. 5, e contando.

      Fiquei com o coração apertado aqui pela sua dor, a situação do seu irmão, etc… Mas por mais que o mundo me dê pernada eu tendo sempre a acreditar que as coisas acontecem por alguma razão, e talvez essa precisasse ser a jornada do seu irmão. E por mais que tenha tido muitas e muitas consequências, não quero acreditar que determiada hora é tarde demais pra mudar… Ele está mudado agora, não está? Ciente que é mais forte do que pensava que era e tudo mais…

      Vou torcer para que seja tudo, sempre, pelo melhor.

      E eu por aqui 5 dias. Já já uma semana. Depois um mês. Varios meses. um ano. vários anos. Pra sempre. Assim espero.

      Curtir

  4. Olá Adriana,
    hoje está fazendo 4 anos que dei meus últimos tragos do cigarro,lembro como se fosse hoje…. 30/04/2008
    “meu marido chegou a noite do serviço e disse que a partir de amanhã ele não fumaria mais,entrei em desespero… parar de fumar de uma hora pra outra?
    eu seria obrigada a parar também???ele teve tempo de se preparar psicologicamente
    durante o dia e eu não,depois de 30 anos fumando…
    Bom naquela noite,meu marido fumou os últimos cigarros e dormiu normal,eu fiquei
    fumando um cigarro atrás do outro até as 2:00h da manhã, já não aguentava mais
    até dar ânsia (era o último,o último….).No dia seguinte começou o calvário,depois do café da manhã ( tinha o hábito de fumar) não fumamos,quando começou a dar vontade de fumar tomava água e quando a vontade de fumar foi apertando iamos dormir (verdade),acordava para almoçar,dormia de novo,jantava,dormia de novo,
    nossos filhos pensaram que estávamos doente(rsrsrs) e assim foi até passar o feriado e ele voltar a trabalhar.Dormindo os dias passavam rápido,não dava tempo de
    pensar no cigarro.Meu marido do trabalho me ligava perguntando se eu havia fumado
    respondia que não (não fumei escondido),não tomamos nenhum remédio e nem tivemos acompanhamento médico,foi na raça mesmo.”
    Hoje, as pessoas não olham com bons olhos os fumantes,é nítido.Eu não critico ninguém,pois não é fácil parar,as vezes me arrependo pois engordei 15 kg,meu marido 20 kg.
    Força Adriana,você vai conseguir,
    comn carinho
    Salette Ramos
    São José dos Campos-SP

    Curtir

    1. Espero estar algum dia comemorando os 4 anos, Salette. Por enquanto, já fiquei orgulhosa de completar ontem 1 mês sem fumar. A vontade ainda vem em ondas, mas cada vez menos frequente, cada vez menos avassaladoras. Normalmente antes de dormir, depois de comer, instantes antes de enfrentar uma situação tensa, ou logo depois de passar por algum aborrecimento. Essas são, sem dúvida, as piores horas.

      Desafio é cruzar com a marca que eu fumava. Entrar em um bar e ver o cigarro olhando pra mim é sempre complicado. Mas gente fumando na rua, conhecidos fumando ao meu lado, maços de cigarro que não fossem o que eu fumava colocados na minha frente, nada disso faz a menor diferença.

      Tenho um grupo de suporte enorme, muitos compostos por gente ou que nunca fumou ou que são ex-fumantes… acho que se eu fraquejar, é capaz de até levar uma surra…

      De mais a mais, fumar virou algo simbólico, parte de uma outra eu que tinha por hábito a auto-sabotagem. E essa eu já era. Passado… Eu não quero encontrar com ela mais. E já deixei os amigos de sobreaviso, para os outros comportamentos de auto-sabotagem , se me pegarem podem me encher a cara de porrada. E como na minha cabeça fumar virou parte desse pacote, deixa os fumantes lá, e eu aqui. Sem fumar a 32 dias e contando! 😛

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s