Porque Freud Explica

Converter. Conversão.
útero, hystera, histriônico, não mais são
Somatizar
Transformar essa dor em outra,
uma que se possa quantificar.
Meu corpo é uma tela
onde a mente imprime a dor.
Hoje é físico, visceral, aparente.
Outrora, foi amor.

Converter, Conversão.
Chaga auto-inflingida,
delírio de atribuir sentido
ao que é puro caos nessa vida.

Converter a própria Conversão.
Que hoje não ando, não falo
não quero, não vivo, não sei.
E o veneno circula no sangue,
me mostra o mal que me causei.

Mas uma vez aparente, circula
procura canais de saída,
dispersa no meu corpo cansado,
na alma usada,
na vida perdida.

Na secura da palavra
no desamor, no desrespeito
na mentira branca que me foi contada
no descaso em meu próprio leito.

E dou o primeiro passo
que me derruba pra me levantar
no desamor, desamar
na lógica da minha loucura

converter, conversão
somatizar, exorcisar.
Das poucas vezes na história
em que a doença é a própria cura.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s