Pensamentos Aleatórios

Eu tô voltando pra casa

Fins de ciclo são sempre complicados. Mesmo quando são planejados, datados, previstos, há  sempre uma certa melancolia envolvida.  É sempre um exercício de desprendimento, de desapego…   E naquele instante de passagem entre o que era e o que será é sempre esse misto de tristeza e excitação, alívio e medo, saudade e expectativa. E não importa do que ou pelo que.  E é um momento pinçado no tempo onde não faz diferença se o ciclo anterior terminou bem ou mal ou se o próximo foi planejado ou contingência, mas é uma espécie de momento mágico do qual a vida é feita, com tudo aquilo que dói e tudo aquilo que alegra. Continue lendo “Eu tô voltando pra casa”

Anúncios
Uncategorized

Sobre a felicidade em um universo regido pelo caos (também conhecido como cansei de ser boazinha)

Eu já escrevi sobre isso anos atrás. E já não é de hoje que tenho essa necessidade de revisitar o assunto, e talvez superar o assunto. Em alguns dias mais que em outros. Hoje mais que todos.

Eu não sei se deus existe. E sinceramente, não acho que caiba a mim saber, ou entender, ou definir. Deus, existente ou não, é uma noção filosófica que remonta ao principio de tudo e ao sentido da vida. Não é, e nem pode ser, uma verdade científica ou um fato comprovado, e por isso toda discussão religiosa, no sentido de embate, é infértil e inócua no grande girar das engrenagens do mundo. Continue lendo “Sobre a felicidade em um universo regido pelo caos (também conhecido como cansei de ser boazinha)”

Uncategorized

Recomeço

Coração acelerado devidamente contido com beta-bloqueador. Mas ainda o sinto bater. Tum. Tum. Tum. Fecho os olhos para sonhar acordada, hábito de efeito consolador desde meus dias de menina e bonecas de papelão, e de súbito os abro. O sonho não é irreal, possível apenas em um universo paralelo onde eu fiz as escolhas certas. Não é um substituto da realidade, uma fuga… Não demanda que o outro, esse que não sou eu, aja como eu faria se ele eu fosse. Não comporta milagres a sacudir as estruturas da realidade. A bem da verdade, não são sonhos. São planos. Projeções possíveis e concretas de amanhã. Planos.  E no fundo o coração dá o compasso sem compasso: Tum. Tum. Tum. Continue lendo “Recomeço”

Pensamentos Aleatórios

O rio que flui

Há coisa que vivemos que são apreciadas ou não, temidas ou não, dolorosas ou não, mas que parecem fazer parte da normalidade do mundo, regidas por pura randomicidade. Mas há coisas que são da ordem da necessidade, não daquilo que precisamos fazer, mas que precisamos ver, sentir e viver, e que de todos os momentos possíveis, surgem com intensidade proporcional à necessidade que se tinha.

Toda a interconectividade dos eventos, sua função de preencher expectativas e até mesmo supera-las, e mesmo suas pequenas imperfeições para situa-las no real, quando em confluência perfeita, parecem encomendados. Mantas tecidas pelas velhas senhoras tecelãs de destino causando a sensação morna sobre a pele, que diz: “Vê? Não é tão escuro assim. Nem tão desesperançoso. Nem tão defintivo. Ou perdido.” A vida são mantas, tecidas em teias. As vezes algumas são jogadas sobre nós, desengonçadamente. Não nos deixa ver nada a frente. Nos roubam o ar. Se emaranham e nos prendem… Outras vezes, são mantas encomendadas, tecidas nas cores exatas… Essas, as das cores exatas, gentilmente colocadas sobre nós, preenchem anseios, determinam futuro, mudam perspectivas… Continue lendo “O rio que flui”