Cotidiano

Eu e meus exercícios de paciência

Eu sou a mais impaciente das criaturas. Sempre fui, e a fama da minha impaciência me antecede. Alias, cruamente falando, eu sou uma pessoa de péssima fama: impaciente, neurótica, workaholic, dramática, pouco maternal (como é que é a parada, Marcelinho? “No dia que sai de casa, minha mãe me disse… Juízo, e vai logo que estou tomando chuva!”). Fazer o que? A gente é o que a gente é! Anyway, eu sou a mais impaciente das criaturas. Mas por alguma razão que não sei qual é, eu sempre sou atraída, tal e qual imã, para os passatempos que exigem grande quantidade de o que? o que? justamente paciência.

Já montei uma fortaleza medieval em riqueza de detalhes peça por peça. E por peça entenda minúsculas coisiquinhas de cerâmica, semi-microscópicas telhas, infinitezimais simulacros de plantinhas, enfim, miudezas resultando num produto final do tamanho de uma mesa de centro média!

Já fiz desenhos em vetor, ampliando zilhões de vezes fotografias e as reproduzindo praticamente pixel por pixel, dando a minha leitura pessoal. Níveis de detalhamento abissais que só poderiam ser vistos se ampliados, ou seja, o supra-sumo da neurose perfeccionista.

Já fiz tricô, inclusive meias de bebê com 5 agulhas, passando pra lá e pra cá em pontos minúsculos, com direito a troca de lã pra fazer sapatinhos em multi-cores.

Meu novo hobby? Poker. Alguns dizem que é um jogo de azar (ou de sorte). Outros de estratégia. Minha leitura do poker é que se usa da sorte em uma série de estratégias, mas que a definição correta é a de um jogo de paciência. Um bom jogador de poker só joga em cerca de 20% das mãos que recebe. Sabe lá o que é isso? Sentar em uma mesa, nem que seja uma virtual, e deixar 80% das mãos recebidas em um humilde fold?! Um dia eu chego lá, minha taxa é em média de 45% de mãos jogadas. Além disso, é preciso observar. As tais das estratégias sofrem alteração dependendo de contra quem você está jogando. Então a cada mão, você lê os seus oponentes, vê como se comportam, como agem, o que tinham na mão, e por aí vai. Haja paciência! Tudo isso somado, é preciso saber quando arriscar, quando apostar, quando blefar, tudo super calculado pra que eventuais perdas sejam dentro do programado.

Calma calma, perda é relativa. Pode deixar que eu não vou empenhar minha casa no Poker não! 😛 Embora eu jogue a dinheiro, não coloquei nem um tostão no treco e nem pretendo colocar: jogo com o dinheiro ganho em torneios como convidada, e em mesas de 0,02 cents. Alias, isso é o mais legal no pokerstars (se você gosta de poker, recomendo!). Tem dezenas e mais dezenas de jogos a dinheiro de mentira, onde você treina. Depois de um tempo, eles te chamam para torneios que rolam de 5a a domingo, onde você entra por convite, sem apostar nem um tostão, mas se ficar entre os primeiros colocados (o que pode ser os 30 primeiros, os 60 primeiros, etc, dependendo do número de participantes), você ganha dinheiro de verdade para apostar em mesas de dinheiro mesmo. Nada “óoooooh, fiquei rica”, mas o suficiente para dar gás na brincadeira, entrar em mesas de mão de verdade, em torneios que tem taxa para entrar, etc.

Nos primeiros torneios eu ficava entre os 20 ou 30 abaixo do último colocado premiado. Me sentia até bem de não ser uma das primeiras a sair (sei lá, em um torneio com 300 pessoas, ficar em 80o lugar não é assim tão vergonhoso, né?). Mas logo comecei a pontuar. $2,75 aqui, $2,50 alí, e lá vamos nós. Ontem fiquei em 3o lugar no torneio, ganhando a mirrequinha de $51,00, o que se consideramos que eu jogo tem duas semanas e não investi nem um toestão, tá de bom tamanho, né?

Mas é um jogo de paciência. Hoje eu acordei ansiosa. Deve ser que amanhã a rotina de aula recomeça, as crianças tem provas de recuperação, eu vou ter um bando de gastos, sei lá, acordei com a mente cheia de pequenas preocupações! Resultado, num torneio com 318 pessoas, fui chutada em 254o lugar, minha PIOR colocação (já sai em 100 e pouco, longe de pontuar, por um golpe de azar, mas nunca em mais de 200o!!!!) e perdi nos jogos de $0,2, a fortuna de 1,26 dos meus 59,75 acumulados nessas duas semanas… Aí lembrei pra mim mesma: é um jogo de paciência Adriana. Se for jogar, ache essa tal dessa paciência senão sai da mesa. Conclusão:0,83 já recuperados, 0,43 por recuperar, em tempo de jogar o último campeonato do fim de semana, com as crianças dormindo (ou seja, sem a falação que me irritou durante o último campeonato me fazendo apostar quando eu não devia!) pra quem saber descolar mais um troquinho. Ou pelo menos me divertir!

Anúncios

2 comentários em “Eu e meus exercícios de paciência

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s