Causos: A fazenda

Não, não. Não é nenhum programa da Rede Record… é só mais um causo mesmo.

Matheus sempre gostou de ficar entre adultos, meus amigos. Era engraçado porque ele tinha aquela mente fantasiosa típica das crianças mas pegava no ar o assunto dos adultos e tentava se inteirar e participar. E sempre tinha um comentário pertinente, ou um exemplo pra dar. Mesmo que saísse da caixinha de histórias mágicas que ele tinha na cabecinha.

Certa vez algum amigo comentava sobre um passeio que tinha feito, talvez a um sítio, realmente não lembro nem quem nem o que. Só lembro que é uma história com testemunhas. Ai solta o Matheus. Ele tinha uns 5, no máximo 6 anos.

_ Tem razão. Sítios e especialmente fazendas são divertidíssimas!

Eu, que sempre fui meio espírito de porco, solto em ato-reflexo:

_ E quando é que o sr. foi a uma fazenda??

Ele tinha esse dom de quando soltava essas histórias olhar bem sério pra nossa cara. E não foi diferente. Ele me olhou com um olhar que podia ser traduzido como “Mãe, você é um caso perdido e não sabe de nada” e continuou no embalo.

_ O que a minha mãe não sabe (cara de coitada da minha mãe) é que toda noite quando ela vai dormir eu vou pra minha fazenda. Ela fica dentro do meu armário. Lá eu sou um coelho azul, meu irmão é um coelho verde e minha irmã é uma vaca cor-de-rosa.

É Adriana, ele tá coberto de razão. Eu nunca soube de nada! 🙂 Essa foi outra história que ele manteve por anos, assim como o Falamin. Toda vez que o assunto fazenda, sítio e animais surgia, ele corria pra contar como era o máximo a fazenda que ficava no armário dele. E o pior era que o irmão de uns 8 ou 9 anos na época ficava mordido de inveja.  Como assim ele nunca tinha sido convidado a ir visitar a fazenda do irmão? A irmã na época, era um bebê, mas foi só ela crescer um pouquinho pra questionar a história também: Como assim o irmão tinha uma fazenda só pra ele e ela não podia ter??

Cansei de, depois disso, pegar o Marcelinho enfiado dentro do armário, jogando as roupas no chão, como quem procura. Ele nunca admitiu que era isso que ele estava fazendo. Mas o Matheus, que sempre foi muito convincente em suas histórias, sentava na cama e olhava, com cara de quem sabe de tudo, tranquilão. Afinal, o irmão mais velho nunquinha que ia achar a porta da fazenda!

De fato, nunca achou. E  a fazenda foi “vendida” mais ou menos na época que o Falamin achou seu caminho de volta pra Wendel. Algo me diz que a venda da fazenda foi como os 2 que na época eram 1, levantaram fundos pra a viagem interplanetária…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s