Causos: Você não me conhece!

Fiquei inspirada pelo post de ontem sobre o papai noel no Alabama. E resolvi contar outros causos enquanto os alemães (Parkson e Alzheimer) não levam de vez minha memória… Ainda mais no dia de hoje. É que essas coisas é que fazem a maternidade compensar: Esses momentos únicos a despeito das preocupações, aborrecimentos, gastos e incompreensões.

Em alguns instantes do dia, filhos são criaturinhas mágicas que falam/fazem coisas desprovidas da lógica tal e qual a gente conhece, mas que nos causam essa sensação de ser surpreendida e enebriada.

Vale dizer que ele, Matheus, tinha ouvido em algum lugar que o Alabama produzia amendoins e isso ficou registrado na cabeça dele, suspeito que esperando o momento certo de sair em forma de conclusão genial. Ele tinha ( na verdade tem, só não pra nada que preste!) esse dom: ouvir alguma coisa, registrar, e achar o momento mais inesperado pra soltar aquilo, de forma que embora não fosse fato, fazia sempre o maior dos sentidos…

Eu lembro que um dia fui dar banho nele, e ele era muito, muito pequeninho. Não tinha mais do que 4 anos, acho eu que era menos. E estou lá lavando os, na época, cachinhos quase louros dele e ele vira pra mim, muito sério. Mas sério mesmo:

Você não me conhece, mas eu tinha ódio em meu coração, eu tinha violencia em  minha alma.

Ele faz uma pausa dramática enquanto eu pulava pra trás.

Mas agora, tudo mudou. Agora eu conheci a glória que há em todas as coisas vivas e em rastejar pelo chão.

Ai a pausa dramática foi minha. Olhando estarrecida pra aquela coisa pequeninha que tinha feito o monólogo com entonação e tudo mais.  Olhando hoje parece um texto pequeno, mas na época, dito de memória e recitado corretamente por aquele serzinho que não ultrapassava a altura do meu joelho, parecia interminável e impossível de ser decorado. Até eu descobrir de onde ele tinha tirado aquilo eu não ia sossegar um instante sequer. Quando eu perguntava pra ele, só recebia um sorriso enigmático como resposta!

Eu só fui descobrir dias depois, repetindo aquela história pra todo mundo que eu encontrava, que ele tinha tirado a fala de um episódio de Desenhos Incríveis – O Show, que era uma espécie de laboratório de testes do Cartoon Network, em um episódio sobre uma minhoca vingativa que encontrava a iluminação… Desse “laboratório” é que saiu desenhos como O Laboratório de Dexter, Johnny Bravo, A Vaca e o Frango, As Meninas Superpoderosas.   Em inglês esse bloco de desenhos se chamava What a Cartoon! Show e passou, aparentemente, de 1995 a 1997. Isso deve ter sido lá fora porque duvido que esse episódio tenha acontecido em 1997 quando meu filho só tinha 2 anos. Aqui deve ter passado atrasado ou coisa assim. Se alguém souber quando passou no Brasil, eu agradeceria a informação.

Mas resumindo, tá ai exemplificada a capacidade de apreender informações e solta-las em momentos inusitados. Depois ele não sabe porque eu fico P da vida quando ele justifica a nota vermelha com “não consegui decorar / lembrar…” O sem graça lembra do monólogo da minhoca até hoje, mas da matéria de história que é bom, não lembra é nada…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s