Pensamentos Aleatórios

As teias de confluências

Ok, eu tinha parado com isso… Não estava totalmente certa de que era melhor desse jeito, mas eu tinha posto o pensamento mágico de lado: nada de teias de confluências, energias perpassando histórias, desejos movendo o mundo e coisas desse tipo. Eu era “A” Sra. pragmatismo já tinha um bom tempo.

Mas aí eu recebo um email de 23 anos no passado. E outro dia, outro dia mesmo eu estava pensando nela, Filipa, minha amiga portuguesa, mostrando as fotos de um passeio pra minha filha. E pensei de novo (nela e em zilhões de outras pessoas, admito, mas nela também) quando estava escrevendo o post de aniversário. E mesmo ignorando o quão inusitado era aquilo e enquanto estou lá trocando idéias com minha melhor amiga na época de segundo grau, passo pra ir no quarto e quem eu vejo? Quem eu vejo? A  mariposa de aniversário.

De novo eu confesso que não é a única oportunidade onde elas aparecem, mas todo santo ano, no dia do meu aniversário (e em outros momentos cruciais) ela(s) aparece(m). Eu contava pros meus filhos quando eles eram pequenos e tinham medo da “borboleta preta e feia” que elas eram bruxinhas (ou bruxonas) e que vinham trazer bons votos de um amigo para outro. Que quando eles vissem uma, era porque alguém estava desejando o bem para alguém naquela casa.

E lá estava ela, segundo minha filha, desde que o dia tinha amanhecido, embora eu só a tenha visto quando caiu a noite, pousada a poucos metros do meu quarto, impassível, velando pelo meu aniversário. Quem mandou? Li? Galahad? Quem?

Não foram os únicos votos que recebi. Telefonemas, emails, twitter, orkut (vou levar uns 10 anos pra responder a  todos. O bom dos votos que vieram via twitter é que pude responder todos de uma tacada só!) e deve ter alguma coisa no facebook onde não vou tem anos…  Sou obrigada então a voltar à  idéia do post anterior: votos são meias. A gente podia ter preferido receber outra coisa (como a presença de todos que desejaram feliz aniversário, não virtualmente, mas aqui comigo!), mas a gente estava mesmo precisando era de meias. E nessa noite fria, abro a janela e visto as meias, uma por cima da outra, e vou dormir (sim, eu vou DORMIR! Podem apostar nisso!) aquecida pelos votos recebidos.

E vieram não só como eu esperava que eles viessem. Vieram de formas inusitadas e jeitos surpreendentes, mesmo que recorrentes. Vieram pra me lembrar que tudo, tudo está interligado. Desde que a energia primordial explodiu e o pó de estrela se espalhou pelo vasto universo, fomos dispersos mas estamos ligados. Remetemos ao mesmo princípio e quando batemos asas, causamos maremotos.

E porque está tudo ligado e desejo move o mundo, termino com a letra da música que me move e me define e que de novo esqueci se era isso mesmo a letra dela… (Já recuperei e perdi um zilhão de vezes nos últimos 2o anos. Não acho que eles vão aparecer aqui, mas Tito, Nino, Coelhão, Glauco, povo da praia vermelha no fim da década de 80, como era a letra??!)

Reunião e som em volta da fogueira
É sexta-feira.
[…]
Este foi o quadro pendurado na parede
do meu pensamento que o vento carregou
rasgando a tela, batendo na janela,
batendo na janelaaaa…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s